sábado, 15 de dezembro de 2012

Postura da torcida


Assim que voltei do Mundial JKA da Tailândia, em 2011, postei o vídeo da final Brasil vs Japão no youtube.
Hoje, o vídeo está com mais de 52 mil acessos ( http://www.youtube.com/watch?v=ECq4zBSdhJA )

Sempre que posto um vídeo de karate no youtube, meu objetivo, além de divulgar imagens das competições - que infelizmente não são televisionadas, e por isso só são vistas por quem está presente no evento -, é o de receber críticas em relação às lutas. É importante que outros karatecas dêem sua opinião.

Nesse vídeo do mundial, entretanto, foram feitas várias críticas duras, mas não em relação às lutas ou arbitragem, ou mesmo ao evento em si; dessa vez, a mira dos críticos teve um só alvo: a torcida.

Algumas críticas são muito duras, é verdade. Mas o pior é que eu não posso discordar delas.
Realmente, a torcida brasileira pisou na bola, e se excedeu, portando-se de uma maneira errada, em minha opinião.

O problema é que no Brasil temos a cultura do futebol. É quase uma lavagem cerebral: em qualquer canal de esporte que você coloque, estará passando futebol. 90 % da programação deles é voltada para o futebol. Até campeonato de outros países passa por aqui. E a torcida do futebol é a pior que existe. Os torcedores são tão mal educados que chegam ao extremo de se agredirem, ou até mesmo agredirem os jogadores. Há inúmeros casos de morte envolvendo torcedores de futebol...

Não estou querendo criticar o futebol, apenas mostrar que é um esporte diferente de tantos outros.
Já imaginou se numa partida de tênis alguém jogasse um rojão no meio da quadra? Ou se a torcida de um tenista partissem para cima dos torcedores do outro jogador?

Outro esporte que cresce vertiginosamente em nosso país é o MMA. E nele, também, a torcida se inflama, vaia, xinga, e se porta algumas vezes de maneira agressiva. Mais uma vez não estou criticando o esporte, mas apenas mostrando a diferença.

Quando se entra em uma academia séria de karate, não se está praticando apenas um exercício físico, mas um conjunto de coisas. Entre eles, um código rígido de conduta (cumprimentos ao se entrar ou sair do dojô, silêncio durante a aula, respeito total ao professor, hierarquia...)
É isso o que faz do karate uma luta com seus princípios pautados no BUDÔ.

Enfim, jamais podemos esquecer de que por mais que o karate tenha se tornado um esporte, é, antes de mais nada, uma arte marcial cujo princípio é: respeito acima de tudo.
Podemos torcer, sempre, mas sem perder a postura jamais.

OSS.

3 comentários:

Igor Pedreira disse...

Perfeito Jayme, falo isso sempre e infelizmente vai ser difícil vermos uma mudança, pois o povo só pensa em futebol, tudo comparam com futebol, vivem que nem zumbis, mas pelo menos alguns acordam desse transe.

Alvaro José Ferreira Cruz Cruz disse...

Quero aqui deixar minha opinião com o objetivo de contribuir construtivamente.
Entendo que a forma como as torcidas externam seu contentamento ou descontentamento, demonstra simplesmente o patamar de educação no qual nosso povo se encontra. Temos muito o que aprender e avançar nesse sentido, observando valores simples como, por exemplo, respeito a nós próprios e ao próximo.
Quanto ao Karate aprendi que o mesmo não é esporte.

celso kolesnikovas disse...

Jayme, bom dia. Concordo em parte. Vendo o video no youtube, ouvimos muitas "crianças" torcendo, gritando "vai Brasil" ou o nome do atleta que estava lutando. ë nosso dever educar estas crianças para que possam sim torcer e jamais ofender adversários ou juízes. As críticas no youtube claramente são de pessoas que NÃO estavam lá. Ao final, a música de Sou Brasileiro, com muito orgulho, com muito amor". Críticas quanto ao nível do Karate JKA do Brasil totalmente infundadas pelo que foi mostrado na Tailandia. Pura inveja de quem fica "do lado de fora" e não se expõe.

OSS


Celso Kolesnikovas